História da Raça

  • Home
  • História da Raça

Aspecto Geral

É um ovino de grande formato, constituição robusta e conformação harmoniosa, típica do animal produtor de carne.

É considerada raça de duplo propósito, com um equilíbrio zootécnico orientado 60% para a produção de carne e 40% para a produção de lã.

Itens

Pescoço

Curto e forte, arredondado no bordo superior, sem papada.

Corpo

Comprido, largo e musculoso, com conformação carniceira. Paletas carnudas, bem afastadas, dando origem a uma cernelha larga e em linha com o dorso. Peito largo, profundo e proeminente.

Costelas bem arqueadas, bem cobertas de carne, e dando origem a um tórax amplo. Não deve haver depressões entre as costelas e paletas.

Ventre levemente arredondado, mas nunca caído. Dorso, lombo e garupa, longos, largos e volumosos; bem cobertos de músculos.

Quartos muito volumosos, arredondados e profundos, com nádegas cheias e entrepernas muito profundo e carnudo. Visto de trás o entreperna e os garrões dão a impressão de um “U” largo e invertido.

Membros

Sendo uma raça carniceira e de muito peso, os membros devem merecer especial atenção. São de comprimento médio. Ossos fortes, boas articulações e devem ter aprumos corretos.

Os joelhos, assim como os garrões, devem ser bem constituídos e bem afastados entre si. Os cascos são grandes e de cor branca, devendo ser bem conformados.

Velo

 Branco, de pouca extensão pesando em média 4 kg nas fêmeas adultas e de 5 a 6 kg nos machos adultos. Mechas densas, de secção quadrada, com o comprimento médio de 8 cm.

O velo deve ser denso e uniforme. Cobre a cabeça até a linha dos olhos, guarnecendo as ganachas e o bordo posterior das faces, deixando totalmente a descoberto as orelhas e a cara até os olhos, inclusive.

Cobre bem o ventre, o peito e os membros até os joelhos e garrões.

O diâmetro médio das fibras de lã varia de 23 a 27 micrômetros, o que corresponde na Norma Brasileira de Classificação de Lã Suja às finuras AMERINADA, PRIMA A, PRIMA B, e CRUZA 1.

Lã untuosa, provida de suarda de cor amanteigada (suarda branca é mais rara). Os cordeiros podem ter lã curta na cara, chanfro, nos membros posteriores abaixo dos garrões e, nos borregos, sobre a pele do escroto.

O rendimento ao lavado é de 53 a 55%.

Desempenho

Ile de France é uma raça ovina mista, de grande formato, 60% de carne e 40% de lã, pesando os machos 110 a 160 kg e 70 a 100 kg as fêmeas.

A raça Ile de France é de muito tempo a mais importante da França. O efetivo total até 1984 era de 400.000 ovelhas, sendo 16.390 fêmeas inscritas e 4.000 machos.

Prolificidade média: 160%;

Ganho de peso diário dos cordeiros:
• 10 a 30 dias – 242g;
• 30 a 70 dias – 287g;
• Peso com 70 dias – 23,2Kg.

Cabeça

Forte, larga ao nível do crânio, mocha, de perfil reto ou levemente convexo, principalmente nos machos adultos, cara de comprimento médio, chanfro em arco aberto (transversalmente).

Nuca larga e bem coberta de lã. A lã cobre a cabeça até um pouco acima da linha dos olhos, deixando a visão completamente livre. Orelhas, cara e mandíbulas devem ser livres de lã e cobertas por pêlos brancos, curtos sem brilho.

Orelhas médias, de boa textura, horizontais ou levemente erguidas, nunca pendentes. Quando o animal presta atenção a parte côncava dirige-se para a frente, situando-se as extremidades em nível superior à base.

As mucosas nasais, lábios, pele entre as narinas e pálpebras devem ser rosadas.

Aptidões

• Produz uma carcaça pesada e de muita qualidade.

• Muito precoce

• Os cordeiros tem muito bom ganho de peso: aos 70 dias pesam 23,2 kg. Dos 10 aos 30 dias de idade tem ganho de peso diário médio de 242g, dos 30 aos 70 dias tem ganho diário médio de 287g.

• Ovelhas pesam cerca de 80 kg, os carneiros atingem pesos de 110 a 160 kg.

• Muito prolífera, atingindo médias de nascimentos de 160%.

• Produz cordeiros em diferentes épocas do ano.

Defeitos para Desclassificação

• Presença de chifres

• Constituição muito débil

• Quartelas (falanges) muito compridas ou muito curtas e excessivamente inclinadas, dificultando a performance do animal

• Malformações bucais

• Acentuado desvio da coluna vertebral

• Anca excessivamente caída e conformação muito angulosa

• Lã cobrindo totalmente a cabeça, prejudicando a visão

• Cabeça totalmente sem lã

• Mechas terminando em pontas acentuadas

• Orelhas de pouca textura, muito finas, pequenas e transparentes, inteiramente sem pêlos

• Manchas de lã preta em qualquer parte do velo, ou qualquer mancha preta nos membros.

• Excesso de lã muito grossa nos quartos.

Defeitos Toleráveis

Pequenas pigmentações marrons ou pretas nas mucosas nasais, lábios, pálpebras, vulva, ânus, períneo e cavidade bucal.

Carne

A raça apresenta um peito amplo com costeletas bem arqueadas. O dorso, lombo e a garupa são largos, longos e musculosos. Os quartos são volumosos, profundos a arredondados. A harmonia dessas formas confere aos animais uma presença robusta e maciça. Os membros fortes, de comprimento médio, asseguram aprumos sólidos e corretos.

Estas características garantem ao cordeiro Ile de France um rendimento de 55% de carnes nobres, segundo pesquisas do Instituto Nacional de Pesquisa Agropecuária da França (INRA).

A carne possui pequena quantidade de gordura insaturada, o que a torna ideal para dietas que exijam baixos níveis de colesterol. Ela é macia, suculenta e de sabor suave, podendo ser utilizada em diversos pratos na culinária.

Desestacionalidade

 A principal vantagem na criação de ovinos Ile de France é que as fêmeas possuem cinco meses de cio a mais do que as demais raças de corte. Com isso, o criador pode programar o nascimento dos cordeiros e realizar o abate na entressafra. Obtém-se com isso melhores preços, aumentando a renda da atividade.

Outra vantagem é fazê-los nascer na época mais propícia ao seu manejo, utilizando a ovinocultura como atividade complementar na propriedade. A raça Ile de France viabiliza três partos em dois anos.

Prolificidade

Os índices de prolificidade da raça Ile de France são excelentes. Colocando-se 100 ovelhas em reprodução, no final da gestação o criador obterá em média 168 cordeiros, que, em apenas 90 dias, estarão pesando de 30 a 35 kg, estando prontos para o abate.

Com este índice de crescimento, as borregas estarão aptas a serem cobertas aos 8 ou 9 meses, um ano antes do tradicional. A desestacionalidade, prolificidade e precocidade fazem do Ile de France a raça perfeita para proporcionar grandes lucros.